Notícias

Semana Santa

 

 

   É tempo de reflexão e recordação. Hoje se inicia a Semana Santa, e iremos recordar a Morte, Paixão e Ressurreição de Jesus Cristo. Seria muito bom pararmos para pensar no significado desta semana em nossa vida.

   Não basta recordar esse momento que representa a reconciliação do povo com seu Deus. É preciso saber se o sacrifício de Jesus não foi em vão. É preciso refletir sobre a importância desse evento que marcou a história da humanidade. Jesus plantou a semente do amor ao doar sua vida por nós

   Nós cristãos temos a responsabilidade de fazer o resgate da importância da Semana Santa, em nossas vidas. Não somos apenas seres caminhantes que caminham sem destino. Jesus nos apresenta um caminho que leva ao Pai, e nesse caminho não há espaço para competições. Só há espaço para a Fraternidade, Solidariedade, Esperança, Fé e Amor!

    É hoje o início da Semana Santa, no Domingo de Ramos”, e comemoramos a entrada de Jesus em Jerusalém. Este evento, está presente nos Evangelhos que contam a jornada de Jesus à cidade santa, para celebrar a sua última Páscoa, com os discípulos. À chegada, Jesus foi recebido com grande fervor e entusiasmo, nesta sua “entrada gloriosa. Nos dias de hoje, os fiéis levam para a igreja ramos de oliveira, a fim de serem abençoados, como símbolo de sua fé. A procissão que introduz esta celebração, convida todos os cristãos a saudar, e acompanhar, o Senhor que entra em Jerusalém.

Logo, no início da Semana Santa, A Sagrada Liturgia usa o “método vivo” que envolve a quase reconstituição dos acontecimentos, que o Senhor vivenciou nos seus últimos dias de vida terrena. Neste dia, se reflete o momento de descanso de Jesus, na casa de uma família que lhe era muito estimada, a casa de Seu amigo Lázaro, a quem Ele havia ressuscitado, e de Marta e Maria Madalena. Uma passagem importante para se meditar neste dia é João 12, 1-11, que retrata o acontecimento.

   Na Terça-feira santa é o dia, em que com grande tristeza, Jesus anuncia a sua morte, causando grande sofrimento aos seus discípulos. E Anuncia também a traição, e indica o traidor, Judas, que sai possuído por Satanás, para trair o seu mestre. Com isto Jesus, manifesta em pleno o Seu amor por todos nós, e consciente aceita o destino que o aguarda, como forma de mostrar ao mundo a glória de Deus, e assim, para que a Sua salvação chegue até aos últimos confins da terra. Em João 13,21-33_36-38, podemos refletir e meditar a tristeza dos discípulos com a notícia e vivenciar celebração do Oficio das Trevas.

    No quarto dia da Semana Santa, e é o dia em que se encerra o período quaresmal. E neste dia celebra-se ainda a piedosa procissão do encontro de Nosso Senhor dos Passos, com Nossa Senhora das Dores. No evangelho deste dia, Mateus 26,14-25, nos é apresentada a traição de Judas, descrevendo-nos como este foi ter com os chefes dos sacerdotes, a quem se ofereceu para trair o Jesus. Aceita assim, trinta moedas de prata como recompensa da sua traição.

   Na Quinta-Feira Santa é o dia da Última Ceia de Jesus Cristo com seus Apóstolos, onde Jesus humildemente lavou os pés dos seus 12 discípulos. É no momento do lava-pés que Judas Iscariote sai, para entregar Jesus em troca das 30 moedas de prata. Como retrata o evangelista João, em 13,1-15. E Foi neste dia, que Nosso Senhor Jesus Cristo instituiu o Santo Sacrifício como sua eterna memória, e em seu último discurso, encorajou os discípulos a amarem-se uns aos outros. Depois Jesus dirigiu-se ao monte de Getsêmani, tomou consigo três discípulos, e começou a sua agonia nos jardins, onde foi preso pelos judeus. É neste dia que a Igreja faz a transição do período quaresmal para o Tríodo Pascal. A Igreja inicia também a vigília ao Santíssimo, relembrando os sofrimentos começados por Jesus nesta noite. A Igreja reveste-se de tristeza desnudando os altares, onde são retirados todos os enfeites, toalhas, flores, e velas para simbolizar os acontecimentos posteriores a está noite.

    Na Sexta-feira da Paixão. Relembra, o dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo é crucificado é o primeiro verdadeiro dia do Tríodo Pascal, que abraça e celebra os mistérios da morte do Senhor. É celebrada a solene ação litúrgica, da Paixão do Senhor, e acontece a Adoração da Cruz. E realiza-se a Procissão do Senhor Morto. Neste dia, é praticado o jejum, e a abstinência da carne em sinal de penitência e respeito pela morte de Jesus Cristo. È recitada ou encenada a Via Sacra.

  No Sábado de Aleluia, Jesus permanece no sepulcro. Na Vigília Pascal, os fiéis ainda estão à espera, na esperança da ressurreição.

  Neste dia, como no dia anterior, não se celebra a Eucaristia. A única celebração é a da Liturgia das Horas. O único Sacramento permitido neste dia é o da Confissão. No Sábado Santo, inicia-se a Vigília Pascal, ao final do dia, e termina com o amanhecer da Páscoa). Durante a execução da Vigília, é abençoado o fogo, símbolo do esplendor de Cristo ressuscitado que começa a dissipar as trevas do pecado e da morte.

`É no Domingo, a Páscoa do Nosso Senhor Jesus Cristo!